Primeiro dia do congresso internacional de nanobiotecnologia enfoca saúde e criminologia | Universidade Feevale

Primeiro dia do congresso internacional de nanobiotecnologia enfoca saúde e criminologia

25/10/2017 - Atualizado 15h50min
Grégory Svetlichny, pesquisador francês residente no Brasil
Grégory Svetlichny, pesquisador francês residente no Brasil

Congresso Internacional de Nanotecnologia e Simpósio de Nanobiotecnologia seguem até esta sexta-feira, 27, na Universidade Feevale 

Nesta quarta-feira, 25 de outubro, é comemorado o Dia C da Ciência no Brasil. Foi evocando dessa data de mobilização, que tem o objetivo de lembrar a população da importância das pesquisas e sua influência no cotidiano, que o pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Universidade Feevale abriu o II Congresso Internacional de Nanotecnologia e o V Simpósio de Nanobiotecnologia e suas Aplicações (II CINA). Os eventos, que recebem pesquisadores nacionais e internacionais, acontecem até a sexta-feira, 27, no auditório do prédio Azul, localizado no Câmpus II da Instituição. “Não se faz um país sério, com projetos de desenvolvimento econômico e social, sem investir em Educação e Ciência. A Feevale está presente nessa marcha e, junto com as centenas de instituições de ensino do Brasil, está apontando para o avanço da ciência como estratégia fundamental”, afirmou na abertura do evento.

“A nanotecnologia é uma área inovadora e relevante. Com o domínio da engenharia molecular através do uso da nanotecnologia, existem perspectivas de uma nova revolução industrial, com consequências importantes: econômicas, sociais, ambientais e militares. O CINA vem, por meio das suas diversas atividades, trazer novos conhecimentos e estratégias para um avanço tecnológico de palestras com pesquisadores renomados, nacionais e internacionais e apresentações de trabalhos científicos. O evento contempla várias áreas: física, química, biologia, engenharia, ciência ambiental, jurídica e forense”, explica a professora e pesquisadora Luciane Rosa Feksa, coordenadora do evento.

Na primeira palestra, o professor Grégory Svetlichny, pesquisador francês residente no Brasil, falou sobre a aplicação da nanotecnologia na Saúde. Mestre em Química pela Universidade Bordeaux 1, Bordeaux 2 e Institut National Santé et de la Recherche Médicale, na França, Svetlichny explicou como a nanotecnologia é uma área promissora na elaboração de estruturas moleculares para tratar e reconstituir tecidos em órgãos danificados e como ferramenta, ao possibilitar a miniaturização de dispositivos para um melhor diagnóstico das doenças. “Os benefícios da nanotecnologia vão desde o diagnóstico até a terapêutica. No diagnóstico, pode-se melhorar a especificidade, o desempenho e a confiabilidade dos resultados, entre outros. No quesito terapêutica, a nanotecnologia aprimora a eficácia dos medicamentos, diminui efeitos secundários e toxicidade, entre outras vantagens”, explicou.

Já a segunda palestra abordou como a nanotecnologia pode auxiliar a ciência forense a desvendar crimes. O professor Fernando de Jesus Souza, perito criminal e coordenador de Ensino e de Altos Estudos de Segurança Pública da Academia Nacional de Polícia, em Goiânia (GO), explicou que alguns vestígios não estão visíveis a olho nu, mas estão latentes no local do crime. “Por exemplo, uma folha de papel pode contar micropartículas chamadas aminoácidos, provenientes das digitais do criminoso, que, por métodos tradicionais, não poderiam ser detectados. Da mesma forma, se um criminoso disparou com arma de fogo, mesmo que este tenha lavado as mãos, exames com o uso de nanotecnologia podem buscar os resíduos do disparo”, afirmou. Entre as tecnologias empregadas, estão as de categoria físico-química, como microscopia eletrônica, microscopia de força atômica, espalhamento dinâmico, microespectroscopia Raman e nanopartículas corantes, entre outras. Souza ressalta que as técnicas, no entanto, têm sempre que trabalhar juntamente com a inteligência para a resolução dos crimes.

Na terceira palestra da manhã, a pesquisadora Aline Ourique, do Centro Universitário Franciscano (Unifra), apresentou pesquisas que desenvolve com nanoemulsões contendo óleos essenciais como estratégias de combate a micro-organismos. “Os produtos de origem natural possuem vantagens por possuírem menos efeitos colaterais na maioria das vezes, mas têm menor estabilidade. A nanotecnologia proporciona proteção, por meio das nanocápsulas, aos componentes das fórmulas. Temos pesquisado, por exemplo, o eucalipto e o capim-limão, e suas propriedades antimicrobianas”, explanou. 

Confira a programação dos próximos dias:
 
Quinta-feira, 26 de outubro
- 9h30min – Particulate delivery systems containing Quillaja brasiliensis saponins, com Fernando Ferreira Chiesa (Uruguai)
- 10h30min – Stem cells and nanotechnology in regenerative medicine, com Patrícia Pranke (UFRGS)
- 11h30min – Lipid - core nanocapsules: a safe and efficient formulation for drug delivery, com Silvia Guterres (UFRGS)
- 14h – Nanotecnologia aplicada ao agronegócio, com Cristiana Lima Dora (FURG)
- 15h – Biossensores nanoestruturados para detecção de glicose, com Marcele Arais Hocevar /MsC Betina Hansen (UFRGS/Univates)
- 16h – Gold nanoholes as nanomaterials for early medical diagnosis com MsC, com Chiara Valsecchi (University of Victoria, Canadá)
- 17h – Avaliação de pôsteres e apresentação oral/ premiação
 
Sexta-feira, 27 de outubro
- 9h30min – Nanopartículas funcionalizadas de óxido de ferro como agentes de contraste multimodal em imageamento biomédico, com Ricardo Meurer Papaléo (PUCRS)
- 10h30min – Nanocompósitos poliméricos funcionais, com Griselda Barrera Galland (UFRGS)
- 11h30min – Nanoestruturas de carbono: propriedades e aplicações, com Tiago Moreno Volkmer (Unifra)
- 14h – Nanoemulsões catiônicas peguiladas como sistemas de liberação de ácidos nucleicos, com Michelle Fraga (UCS)
- 15h – Avaliação terapêutica do uso tópico com nanocápsulas anti-inflamatórias em modelo animal, com mestranda Aline Belem Machado (Universidade Feevale) 

Outras informações sobre o CINA podem ser obtidas no site www.feevale.br/cina2017.

Sobre o Dia C da Ciência

O II CINA integra o dia C da Ciência no Brasil, um movimento nacional que faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, com o objetivo de realizar um dia de atividades para mostrar à comunidade a importância das pesquisas e como influenciam o cotidiano de todo cidadão. A iniciativa partiu do Colégio de Pró-reitores de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação das Instituições Federais de Ensino e do Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop), em função da diminuição dos investimentos em ciência e tecnologia, queda nas aplicações de recursos nas universidades, entre outros fatores. O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Feevale, João Sganderla Figueiredo, é o coordenador da Regional Sul do Foprop, que engloba os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.



Instituições de ensino de todo o Rio Grande do Sul estão engajadas no Dia C da Ciência no Brasil (confira no mapa). Mais informações podem ser obtidas no site www.diacdaciencia.org

 
Atendimento Feevale Câmpus I De segunda a sexta-feira, das 7h15min às 22h15min. Câmpus II De segunda a sexta-feira, das 8h às 22h15min.
Aos sábados, das 8h às 12h
Câmpus III De segunda a sexta-feira, das 9h15min às 11h30min e das 12h30min às 18h. (51) 3586 8800 Núcleo de Relacionamento De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 22h.
Aos sábados, das 8h30min às 13h45min.
(51) 3586 8822 falecomafeevale@feevale.br Retornaremos no prazo de 72 horas úteis. Contate-nos
Atendimento Feevale

Os atendimentos presenciais realizados no setor Atendimento Feevale de ambos os câmpus podem ser agendados.

Localização: sala 207 – 2º andar
Horário: de segunda a sexta-feira, das 7h15min às 22h15min
Localização: sala 101 – térreo do prédio Lilás
Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h15min
Aos sábados, das 8h às 12h
Localização: sala 003 - pavimento 0 do prédio Sede
Segunda a sexta-feira, das 9h15min às 11h30min e das 12h30min às 18h

Verifique os demais setores que disponibilizam o atendimento agendado.

Saiba mais