Centro de Documentação

O Centro de Documentação e Memória Feevale "Luci Therezinha Bridi" nasceu da necessidade de preservação da documentação que marca a trajetória da Feevale, ainda como Federação de Ensino Superior de Novo Hamburgo.

Em meados de 2005, estimulado pela professora Luci Therezinha Bridi, projetado e executado por pesquisadores e bolsistas do Grupo de Pesquisa em Cultura e Memória da Comunidade, tiveram início os trabalhos de limpeza e organização de documentos, que estavam armazenados de maneira inapropriada e seriam destinados ao descarte.

Utilizando os métodos da arquivologia, o trabalho que inicialmente consistia no processo de triagem e destinação em fundos documentais provisórios, agora busca seu arranjo definitivo, inspirado no organograma institucional.

Uma parte do acervo é composto por documentação institucional e, outra, por materiais diversos provenientes da comunidade local, que vê no Centro de Documentação e Memória Feevale um local de manutenção de seu patrimônio material.

Acervo

A inauguração do Centro de Documentação e Memória Feevale, em homenagem à sua idealizadora Luci Terezinha Bridi, ocorreu em 10 de maio de 2007, contando com a presença de autoridades da instituição, do município, membros da comunidade acadêmica e externa.

Por tratar-se de um projeto dinâmico, o Centro de Documentação e Memória Feevale caracteriza-se pela constante possibilidade de expansão, através de documentação proveniente da ASPEUR, reitoria, pró-reitorias, institutos, cursos, setores, bem como de projetos de pesquisa institucionais e voltados às comunidades e projetos de extensão.

Na composição do acervo institucional, encontram-se, entre outros documentos, certidões, atas, requerimentos, relatórios, projetos, correspondências, fotos, plantas, recortes jornalísticos, clippings e documentos de outras naturezas.

Objetivo

A criação de um centro de preservação da memória da Feevale em Novo Hamburgo tornou-se necessário para zelar pela preservação do acervo documental produzido pela Instituição ao longo de sua trajetória e possibilitar o acesso de pesquisadores, acadêmicos e da comunidade local.

Pretende-se que este patrimônio constitua-se em significado cultural, à medida que estiver sendo disponibilizado e manuseado de forma ampla, sendo compreendido como parte integrante de um contexto sociocultural.

O acervo pretende servir pesquisadores, comunidade e acadêmicos, no que se refere ao acesso à pesquisa sobre as temáticas relacionadas à história da Instituição e região, assim como à preservação da sua identidade e memória.

O Centro de Documentação e Memória Feevale vincula-se a projetos de pesquisa do Grupo de Pesquisa em Cultura e Memória da Comunidade, com a compreensão de que o acervo institucional pode ser definido como um patrimônio que, intrinsecamente, possui um significado cultural, sendo compreendido como parte integrante de um contexto sócio- histórico.

Além da relevância desses projetos investigativos que se propõem a contribuir para a construção da história da Feevale vinculada às comunidades locais, esses estudos inserem-se numa demanda institucional, na medida em que a sua execução agrega a continuidade da organização do acervo documental produzido pela instituição e pelas comunidades.

A proposta de trabalho prevê a participação, além de pesquisadores da instituição, de acadêmicos de iniciação científica que, a partir de projetos próprios, possam integrar a equipe de trabalho, bem como de um estagiário.

Quem foi Luci Bridi

Natural do município de Sobradinho (RS), Luci Therezinha Bridi formou-se em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Leopoldo (Unisinos) e pela Feevale. Na primeira instituição obteve o grau de Licenciada e, na segunda, a habilitação em Supervisão Escolar. Dedicou-se à carreira de professora, desempenhada por mais de 40 anos. Entre 1969 e 1978 lecionou para o curso de Magistério na Escola Santa Catarina, em Novo Hamburgo.

Como docente, participou de inúmeros projetos educacionais em municípios do Rio Grande do Sul e do Paraná. Na Feevale lecionou no Ensino Superior desde o ano de fundação da mantenedora, em 1969, quando esta ainda se chamava Federação dos Estabelecimentos de Ensino Superior em Novo Hamburgo.

A partir de 1975, como secretária-executiva, Luci desempenhou atividades administrativas, envolvendo coordenação, planejamento, supervisão e assessoria na área de ensino e gestão. Em 1999, ano em que a Feevale se tornou centro universitário, assumiu a chefia de gabinete. Luci Bridi é lembrada por colegas como uma pessoa íntegra, dedicada e afetuosa. Faleceu aos 65 anos, depois de mais de 30 anos de dedicação à Instituição.
 
Atendimento Feevale Câmpus I De segunda a sexta-feira, das 7h15min às 22h15min. Câmpus II De segunda a sexta-feira, das 8h às 22h15min.
Aos sábados, das 8h às 12h
(51) 3586 8800 Núcleo de Relacionamento De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 22h.
Aos sábados, das 8h30min às 13h45min.
(51) 3586 8822 falecomafeevale@feevale.br Retornaremos no prazo de 72 horas úteis. Contate-nos

Em caso de emergência ligue: (51) 99972 9643

Atendimento Feevale

Os atendimentos presenciais realizados no setor Atendimento Feevale de ambos os câmpus podem ser agendados.

Localização: Sala 207 – 2º andar
Horário: de segunda a sexta-feira, das 7h15min às 22h15min
Localização: Sala 101 – térreo do prédio Lilás
Segunda a sexta-feira, das 8h às 22h15min
Aos sábados, das 8h às 12h

Confira demais setores que possuem atendimento agendado.

Saiba mais