Projeto social da Feevale conscientiza jovens e adultos hamburguenses sobre o HIV | Universidade Feevale

Projeto social da Feevale conscientiza jovens e adultos hamburguenses sobre o HIV

01/10/2019 - Atualizado 13h52min

Intervenções são realizadas em escolas públicas e no Serviço de Atendimento Especializado (SAE) de Novo Hamburgo


Panfleto


O projeto social HIV: Fique Sabendo da Universidade Feevale tem o objetivo de realizar atividades de monitoramento junto a pacientes portadores do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV é a sigla em inglês de Human Immunodeficiency Virus) no Serviço de Atendimento Especializado – SAE de Novo Hamburgo (Rua General Osório, 868). Além disso, o projeto proporciona oficinas para professores e encontros com estudantes de escolas públicas do município. As intervenções visam disseminar informações sobre o HIV, despertar ações colaborativas para resultar no acolhimento, na orientação e na prevenção do contágio, incentivando atividades multiplicadoras.

Inicialmente foram desenvolvidos, em 2018, encontros com professores para realizar uma formação continuada em saúde. Nas oficinas, os profissionais foram capacitados para trabalharem assuntos relacionados ao HIV em sala de aula, além de promoverem dinâmicas que pudessem ser replicadas com os alunos. Foram atendidos docentes das seguintes escolas: Colégio Estadual 25 de Julho, Colégio Estadual Dr. Wolfram Metzler, Colégio Estadual Vila Becker, Instituto Estadual Seno Frederico Ludwig, Colégio Estadual Senador Arlindo Pasqualini, Escola Estadual de Ensino Médio Antônio Augusto Borges de Medeiros e as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) Padre Reus e Arnaldo Grin, indicadas pela Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo.

Neste ano, ocorrem atividades com estudantes do Colégio Estadual Vila Becker e da EMEF Padre Reus, a partir do sétimo ano escolar. O projeto proporciona que os alunos conheçam os laboratórios da Universidade e participem de ações e oficinas em suas próprias instituições de ensino, com abordagens integradas de saúde e educação que promovem o protagonismo juvenil por meio de atividades que os estimulem a atuarem como sujeitos transformadores da realidade.

Rodrigo

O projeto começou a partir da pesquisa Estudo epidemiológico molecular do HIV no estado do Rio Grande do Sul, do mestrado acadêmico em Virologia, que ocorre no SAE e, atualmente, acontece em conjunto com as intervenções. A pesquisa e a extensão, de acordo com o coordenador do projeto, Rodrigo Staggemeier (foto), têm contribuído no acolhimento dos assistidos. No local, as ações buscam maior adesão dos pacientes ao tratamento de antirretrovirais, por meio de um acompanhamento contínuo em atividades, como palestras e oficinas, que possam informar a população e solucionar possíveis dúvidas. Desde que o projeto se iniciou, mais de 150 pessoas foram atendidas.

Novo Hamburgo é uma das cidades com maior número de infecções por HIV no Brasil. Por isso precisamos ficar atentos, informar as pessoas, compartilhar conhecimento, e dar todo o apoio ao paciente HIV positivo”, diz Staggemeier.

O coordenador observou que há um maior interesse dos pacientes pelo seu estado de saúde física e emocional. “Há uma boa recepção dos pacientes em relação ao projeto, mas eles só aceitam atendimentos individuais. Não foi possível montar grupos porque a questão relacionada ao preconceito ainda está fortemente ligada ao estado do paciente e, assim, eles preferem esconder sua condição”, explica.

A equipe da Feevale é composta pelas professoras Natalia Aparecida Soares e Sabrina Esteves de Matos Almeida, líder da pesquisa. As intervenções, realizadas por meio da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Feevale, também contam com bolsistas e voluntários dos cursos de Biomedicina, Ciências Biológicas e Produção Audiovisual. No SAE, as visitas ocorrem nas terças e quintas-feiras, no turno da tarde; já nas escolas, acontecem de acordo com a disponibilidade da instituição de ensino. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail projetoshiv@feevale.br.