Pesquisadora gaúcha recebe bolsa de estudos para reforçar força-tarefa de diagnóstico da Covid-19 | Universidade Feevale

Pesquisadora gaúcha recebe bolsa de estudos para reforçar força-tarefa de diagnóstico da Covid-19

08/05/2020 - Atualizado 15h40min

Juliana Gularte, que atua no Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, foi uma das sete cientistas selecionadas pela Dimensions Sciences

juliana

Cientistas do mundo todo estão se esforçando no sentido de apresentar soluções para manter a segurança das pessoas em relação à Covid-19. Nesta terça-feira, 5, aconteceu o Giving Tuesday Now, um movimento global para combater a pandemia e dar uma resposta imediata à necessidade sem precedentes causada pelo novo coronavírus.

Nessa data em que pessoas de diferentes países se uniram, mostrando a sua generosidade e retribuindo às comunidades que estão mantendo o distanciamento físico, a pesquisadora Juliana Schons Gularte, que atua no Laboratório de Microbiologia Molecular e no Laboratório de Saúde Única da Universidade Feevale, recebeu uma ótima notícia. Ela foi uma das sete cientistas brasileiras selecionadas pela Dimensions Sciences, uma organização não governamental e sem fins lucrativos dos Estados Unidos, para receber uma bolsa de estudos para auxiliar no diagnóstico da Covid-19.

Doutora em Qualidade Ambiental pela Universidade Feevale, Juliana trabalha com pesquisas em virologia, no monitoramento da qualidade ambiental através da detecção de marcadores virais e bacteriológicos de contaminação fecal e no desenvolvimento de um sensor microfluídico para a detecção de mastadenovírus humano. Ela se inscreveu, com apoio do Mestrado em Virologia e do Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, para reforçar a força-tarefa de diagnóstico da Covid-19.

Para Juliana, o apoio da Dimensions Sciences será muito importante, uma vez que a bolsa possibilitará a ela contribuir com o diagnóstico na região, ainda mais nesse momento de grande demanda, em que o laboratório necessita do auxílio de profissionais que tenham experiência com abordagens moleculares.

Esse tipo de iniciativa, que apoia pesquisadores que estão na linha de frente dos laboratórios brasileiros, é de extrema relevância, pois acelera a geração de conhecimento e auxilia na formação em ciência e tecnologia no nosso país”, afirma.

Com a bolsa, Juliana vai auxiliar diretamente na realização de testes moleculares para o diagnóstico das amostras de pacientes suspeitos da Covid-19. Essas amostras são enviadas à Universidade Feevale por municípios conveniados e recebidas pela equipe do Laboratório de Microbiologia Molecular, que vem desenvolvendo este trabalho desde o final de março. “Nosso grupo de pesquisa em virologia vem realizando diagnósticos confiáveis, por abordagens moleculares, para a população do Vale do Sinos. Esse projeto tem como objetivo principal identificar, o mais próximo possível, o real número de pacientes infectados na região”, explica.

Segundo Juliana, o diagnóstico correto tem importância direta na saúde dos pacientes, pois afeta a escolha do tratamento e os cuidados de saúde a serem abordados.

Além disso, esses dados podem interferir diretamente na definição das melhores medidas e ações que as autoridades públicas devem adotar, principalmente no que se refere ao isolamento social”, complementa.


Sobre a seleção
A Dimensions Sciences busca soluções para problemas científicos desafiadores e acredita que a ciência é importante porque ajuda a responder perguntas que têm o poder de invocar mudanças positivas no mundo. A organização ofereceu bolsa de estudos para cientistas que realizam pesquisas com aplicações práticas no diagnóstico e no tratamento de pacientes com Covid-19 no Brasil e, futuramente, nos Estados Unidos e no Canadá.

Inicialmente, a Dimensions Sciences selecionou 30 candidatos, classificou doze finalistas e, nesta terça-feira, 5, anunciou os sete pesquisadores que receberão as bolsas de emergência. Além da Universidade Feevale, no Rio Grande do Sul, eles são provenientes da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Para obter esses resultados, um grupo de 21 especialistas (comitê científico permanente, conselho científico ad hoc e conselho da Dimensions Sciences) produziu 120 relatórios (cada candidato foi analisado por cinco avaliadores) com base na viabilidade, no impacto no paciente de Covid-19 e no perfil do candidato. Cada pesquisador receberá R$ 6.500,00 em um período de três meses, a partir de 15 de maio. Além disso, todos serão apoiados pela organização por meio de um programa de orientação para seu desenvolvimento profissional e pessoal.